segunda-feira, 24 de julho de 2017

só mais uma vez...




fito teu olhar em cada tema
que desenvolves,
e resolves...
como se fosses o centro do mundo,
a base do pilar mais fundo...
 
talvez por isso, esse ar "tão seguro"...
 
admiro-te e não o escondo!
cairia "redondo"
se ousasse mentir,
ou de rubro minhas faces se vestiriam,
qual "teenager" ao esconder seu "sentir"...
 
Fito teu olhar... mais uma vez,
e mais outra, e mais outra...
até onde sei contar... até dez!!










domingo, 23 de julho de 2017

para além de nós...









quando voltará o tempo
em que o tempo voava,
fugia por entre os dedos,
enquanto o nosso tempo
(sim, cada um tem seu tempo)
entre palavras se esfumava,
e num beijo se erguia contra os medos...?
 
abro mão de tudo (e tudo era tão pouco),
se o tempo voltar atrás,
ainda que o olhar do mundo me chame louco,
irresponsável, sem palavra, ou de palavras vás...
 
abro mão de tudo (e tudo era quase nada),
se no silêncio da noite conseguir tocar teu nome,
soletrar cada letra, inventar-te na madrugada,
respirar-te, e nos braços do tempo, adormecer lado a lado...







quarta-feira, 10 de maio de 2017

talvez...





caminha o viajante por entre veredas,
longas estradas,
linhas imaginárias no horizonte
e o céu tão próximo...


talvez amanhã brilhe o sol...
talvez encontre o oásis perdido
por entre as areias do deserto sem fim...
talvez encontre pedaços de mim...





segunda-feira, 1 de maio de 2017

leve entardecer...





tão leve o amanhecer,
tão promissor este entardecer...


como se fosse Agosto,
como se os dias não tivessem horas,
assim são os dias de sol e de paz,
de silêncio, por entre o arvoredo,
por entre o colorido das rosas e dos liretes,
apenas interrompido pelo cantar do melro
ou das rolas nos cabos da rua...


abre-se a janela de par em par
como se a luz quisera entrar,
permanecer, dizer presente,
e batendo no coração diz suavemente:
"voltei, serei LUZ eternamente"...